O local era o mesmo, mas muita coisa muda em 24 horas. A Arena Pernambuco deste domingo à tarde estava bastante diferente dela própria no sábado. O piso mudou, as traves mudaram, os uniformes mudaram e, principalmente, as arquibancadas mudaram. A final da Superliga Nordeste de futebol americano, entre Recife Mariners e João Pessoa Espectros, levou mais que o triplo de público que o tradicional Náutico no jogo que poderia dar o título da Série B à Ponte Preta.

LEIA MAIS: Arena Pernambuco se prepara para receber Série B e final de futebol americano em dias seguidos

Na decisão da bola oval, os Mariners perderam por 38 a 12 para os paraibanos, atuais bicampeões regional da modalidade. O resultado deu aos Espectros uma vaga no Brasil Bowl, a final nacional contra o campeão da Superliga Centro-Sul (Coritiba Crocodiles). O clássico nordestino do futebol americano atraiu 7.056 torcedores a São Lourenço da Mata.

Um dia antes, o Náutico se despediu melancolicamente da Série B diante de apenas 2.312 pagantes. O baíxissimo público do Timbu se deve à situação da equipe na Segundona. O time apenas cumpria tabela, e a falta de motivação dos torcedores fez que o 1 a 1 contra a Ponte Preta (que teria conquistado o título se tivesse vencido) fosse o de pior público do Alvirrubro na Série B. De qualquer modo, os 7.056 pagantes dos Mariners ficaram acima da média do Náutico na Arena Pernambuco em 2014 (6.650).

Veja a galeria com as imagens:


  • Alfredo

    Os espectros continuam imbativeis no nordeste, pode contratar mais americanos mariners