Patriots encaram os Giants neste domingo no Super Bowl

Fundado em 1925 pelo então bookmaker Tim Mara com um investimento inicial de US$ 500, um valor altíssimo na época, o New York Giants é o quarto time mais antigo da NFL. Originalmente chamado de New York Football Giants, a franquia é mais nova apenas que o Arizona Cardinals, fundado em 1898 (então sediado em Chicago), o Chicago Bears e o Green Bay Packers, ambos fundados em 1919.

A escolha da cidade de Nova York para sede do quarto time da NFL ocorreu por razões estritamente financeiras. Na época, o futebol americano profissional perdia largamente em popularidade para esportes como o beisebol, boxe e até para o futebol americano universitário. Por conta disso, a liga, então com apenas cinco anos de existência, atravessava sérios problemas financeiros e via na presença de um time profissional em um grande mercado como Nova York uma possível solução para seus problemas.

LEIA TAMBÉM:
– Veja a cobertura completa do ExtraTime para o Super Bowl

Após o ingresso na liga e com Bob Fowell nomeado como o primeiro técnico do time, o New York Giants fez sua estreia profissional contra um time que não integrava a NFL. No dia 4 de outubro de 1925, os Giants venceram o All New Britain por 26 a 0, em jogo realizado no Willow Brook Park, em New Britain, Connecticut. Naquele ano, os Giants terminaram a temporada com oito vitórias e quatro derrotas – o primeiro título viria dois anos depois.

Mesmo com o título nos primeiros anos de existência, a organização amargou problemas financeiros durante o período. Após a crise de 1929, Tim Mara decidiu transferir parte do controle acionário da franquia para seus filhos, Jack, de 22 anos, e Wellington, de apenas 14 anos. A decisão foi motivada pelos prejuízos sofridos por Tim Mara em função da crise e tinha como intuito evitar que seus credores tomassem o controle do time de sua família.

De 1934 até a entrada dos EUA na Segunda Guerra Mundial, os Giants gozaram de grande sucesso na NFL, chegando cinco vezes à final da liga, obtendo mais um título em 1938, e tendo em seu elenco um grande número de All-Stars ao longo dos anos. Após o conflito armado, Tim Mara transferiu definitivamente o controle das operações do time aos seus filhos. Os resultados, entretanto, não foram inicialmente positivos.

A franquia só voltaria ao topo da liga em 1956, ano em que os Giants conquistaram seu último título da era pré-Super Bowl. Como fato curioso, merece destaque o fato de que dois dos maiores head coaches da história da NFL integravam o staff do New York Giants como coordenadores. Os lendários Tom Landry e Vince Lombardi eram respectivamente os coordenadores defensivo e ofensivo daquela equipe.

A partir de 1963, os Giants atravessariam talvez o pior período de sua história. Uma sequência de más trocas e escolhas questionáveis nos Drafts dos anos seguintes diminuiu consideravelmente o nível da equipe. Como consequência, o time  sofreu com 17 temporadas consecutivas sem chegar à pós-temporada. Além disso, em 1964, a franquia passou a dividir a atenção o New York Jets, então integrante da American Football League, e o carismático quarterback Joe Namath.

A sorte dos Giants começou a mudar em 1979, com a contratação de George Young, o primeiro general manager da história da franquia. Young foi o grande responsável pela escolha do quarterback Phil Simms no Draft e daquele que é considerado o maior jogador da história do time, o linebacker Lawrence Taylor, dois anos depois. Os dois atletas foram os pilares do time durante um dos períodos de maior sucesso de sua história. A última peça do quebra-cabeça apareceria em 1983, com a contratação de Bill Parcells como técnico.

Uma briga sobre o poder decisório sobre os rumos do time acabou causando a saída de Bill Parcells após o título do Super Bowl de 1990. Parcells gostaria de ter a palavra final sobre trocas de jogadores, escolhas do draft e contratação de free agents, o que seria impossível com a presença de George Young. Naquele mesmo ano, o candidato natural à sucessão de Bill Parcells, o coordenador defensivo Bill Belichick, surpreendentemente deixou a equipe para o posto de técnico dos Cleveland Browns. Assim, Ray Handley foi alçado ao posto de técnico, sem nenhum sucesso. Dan Reeves, ex-técnico do Denver Broncos, foi o escolhido para o seu lugar. Após quatro temporadas e apenas uma ida aos playoffs Reeves deu lugar a Jim Fassel, técnico que conduziria o Giants ao Super Bowl de 2000, onde o time foi massacrado pelo Baltimore Ravens e sua feroz defesa por 34-7.

Após a saída de Fassel, em 2003, Tom Coughlin foi escolhido como substituto. Em 2004, logo em seu primeiro draft como técnico do time, ao lado do general manager Ernie Accorsi, Coughlin foi o responsável por recrutar Eli Manning, atual quarterback e líder do time, em uma negociação envolvendo o San Diego Chargers e Philip Rivers. Como é possível afirmar oito anos depois, a decisão se mostrou correta e pode ser considerada uma das mais acertadas da história da franquia. Com Manning como quarterback, o time de Coughlin foi à pós-temporada em cinco temporadas, conquistando o Super Bowl de 2007 em um dos jogos mais incríveis da história da NFL – justamente sobre o New England Patriots de Bill Belichick.

ESTÁDIO

MetLife Stadium
O New York Giants atualmente manda os seus jogos no MetLife Stadium, estádio dividido com o rival New York Jets. Inaugurado no dia 10 de abril de 2010, o estádio tem capacidade para mais de 82 mil pessoas e tem grama natural como piso. Por ser um dos estádios mais novos e modernos da NFL, vai receber o Super Bowl em 2014.

Estádios do passado: Polo Grounds (de 1925 a 55), Yankee (1956 a 73), Yale Bowl (1973 e 74), Shea (1975) e Giants (1976 à 2010).

MAIOR ÍDOLO

Lawrence Taylor, linebacker (1981-1993)
Lawrence “L.T.” Taylor, em treze anos de carreira, todos com os Giants, fez o suficiente para ser considerado também um dos maiores linebackers de todos os tempos e um dos jogadores mais violentos da história. Taylor conquistou dois títulos do Super Bowl, foi eleito dez vezes para o Pro Bowl, dez vezes para o All-Pro Team, uma vez MVP da NFL, três vezes Defensive Player of the Year e ainda teve seu número 56 aposentado pela franquia.

Outros ídolos: Mark Bavaro (tight end), Frank Gifford (running back/wide receiver), Eli Manning (quarterback), Steve Owen (offensive tackle), Phil Simms (quarterback), Michael Strahan (defensive end), Amani Toomer (wide receiver), Brad Van Pelt (linebacker).

NOME

Tim Mara, fundador do New York Giants, pegou o nome “emprestado” de um dos times de beisebol da cidade. Na época, era comuns as equipes profissionais do futebol americano usarem nomes ou referências de franquias locais da MLB como modo de atrair seus torcedores. Foi para evitar a confusão entre os dois NY Giants que o nome oficial do time da NFL é New York Football Giants. Mas isso deixou de ser um problema em 1957, quando os Giants da MLB se mudaram para San Francisco.

TORCIDA

A torcida do New York York Giants é conhecida popularmente como Big Blue, em função dos tradicionais uniformes azuis da equipe. Embora o time tenha suas origens em Nova York, uma pesquisa de 2001 revelou que cerca de metade dos torcedores que possuem o carnê de ingressos para a temporada mora em Nova Jersey. Como nos times mais vitoriosos e populares de Nova York (ao lado de Yankees, Knicks e Rangers), sua torcida é acusada de ser arrogante.

RIVAIS

Pela proximidade geográfica, não haveria como evitar uma rivalidade com o New York Jets. No entanto, as equipes raramente se enfrentam (além dos confrontos anuais de pré-temporada, se encontram apenas uma vez a cada quatro anos). De qualquer modo, o debate sobre quem teria o direito de inaugurar o estádio de Meadowlands e o confronto decisivo na reta final da temporada regular de 2011 acirrou os ânimos. Mas, em condições normais, os grandes rivais dos Giants são Dallas Cowboys e Washington Redskins, companheiros de divisão que já travaram duelos decisivos em várias temporadas.

Outros rivais: Philadelphia Eagles e San Francisco 49ers


  • Marcos

    Go Giants!!!!!!!