Era óbvio que isso ia acontecer em algum momento, mas não dava para imaginar que seria justamente em um lance que decidisse uma partida. A nova regra de eliminação na segunda base para queimadas duplas motivou polêmica quando foi anunciada. E já causou rebuliço quando o Toronto Blue Jays viu suas duas corridas contra o Tampa Bay Rays, que viravam o marcador de 3 a 2 para 4 a 3 na nona entrada, transformadas em uma queimada dupla que encerrou o duelo após revisão por replay.

Pelo novo regulamento, não há mais a “jogada de vizinhança”, uma lei não escrita que protegia o defensor de adversários agressivos em base. Em compensação, o corredor tem obrigação de se manter diretamente na linha da base e não avançar sobre o corpo do oponente.

Pode-se reclamar que a regra tira agressividade do jogo, como também há margem para defender o modo como ela preserva shortstops e segundas bases. O que realmente definirá o quanto ela afeta o jogo para cada um dos lados é: como o texto da lei será aplicado nas situações práticas? O que os árbitros considerarão como interferência do corredor na ação do defensor.

É isso o que está por trás dessa discussão. Claro, os Blue Jays reclamaram da marcação. É verdade que José Bautista não ataca o corpo de Logan Forsythe, mas o jogador do Toronto chega a deslocar seu carrinho para o lado e dá para considerar que ele atrapalhou o segunda base dos Rays. É uma jogada no limite da interpretação da regra, e é o acúmulo de decisões em lances como esse que nos permitirá dizer o quanto a nova regulamentação é boa ou ruim.


  • Felipe Rosa Machado

    não achei no limite da interpretação,, o Bautista vai claramente com a mão para tentar atrapalhar o cara,, mas vamos ver em outros jogos como será a interpretação em jogadas parecidas,,

  • William Aparecido Brandino

    sem contar que foi eliminado UM, o 1st base nem pegou a bola… ou essa é a “punição” ?

    Sinceramente, não entendi essa jogada.

    • Felipe Rosa Machado

      como o 2 base foi atrapalhado no arremesso para eliminar o rebatedor na 1 base,, considera que ele iria acertar o arremesso se ninguem o atrapalhasse,,,

  • Klaus Fiedler

    Não acredito que o Bautista atrapalhou. Aquela “mãozinha” para o lado não foi o suficiente para interferir no arremesso do Forsythe, muito menos foi a causa do erro. O que deveria ser ilegal é o carrinho criminoso do Utley e não uma “mãozinha” deslocada para o lado.

    Não gostei da regra, deixou uma jogada que já é normalmente favorável a defesa, ainda mais fácil de ser realizada e nesse caso interferiu diretamente no resultado. Muito ruim.

  • Vinicius Vandre

    Bautista quis dar uma de esperto com a mão. Claramente tentou atrapalhar e mesmo que não tenha sido suficiente para tal, vale a intenção; a chamada dos umpires foi correta.