Para as estrelas, a pré-temporada MLB é um momento para voltar a sentir o jogo. É preciso se reacostumar aos arremessos e rebatidas, voltar à melhor forma física e conhecer de perto os novos companheiros. Mas isso é só uma pequena fração das grandes ligas. A maioria encara os jogos de Spring Training como uma chance excelente de mostrar serviço e tentar cavar uma vaga no elenco principal de 25 jogadores. Para os brasileiros, isso não é diferente.

VEJA TAMBÉM: Como ver todos os jogos do Rangers de graça? Simples, “só” rebater um home run

Os times começaram a se reapresentar nesta semana (cada time tem um dia de retorno próprio) e os jogos da pré-temporada têm início em 28 de fevereiro. Servirá de aperitivo para o público, mas também é importante para o torcedor brasileiro acompanhar o que acontece com André Rienzo, Paulo Orlando, Yan Gomes e Leonardo Reginatto.

André Rienzo (Miami Marlins)

Depois de ser trocado do Chicago White Sox para o Miami Marlins, Rienzo ainda está tentando se firmar na Flórida. Idas e vindas nas ligas menores e nenhuma chance como abridor no time principal, o brasileiro fez um bom final de temporada como reliever. Em um time que passa por transição e que não há muitos jogadores consolidados no bullpen, a pré-temporada do brasileiro pode muito bem servir como um divisor de águas entre passar abril nas grandes ligas ou no time de triple-A.

Paulo Orlando (Kansas City Royals)

O campo externo dos Royals deve ser formado, inicialmente, por Alex Gordon, Lorenzo Cain e Jarrod Dyson, mas essa última vaga não está totalmente decidida. Dyson é um jogador que depende muito do físico para competir em alto nível, e completa 33 anos em 2016. Aí que pode entrar Paulo Orlando, caso o brasileiro continue com o bom trabalho demonstrado na última campanha. A saída de Alex Rios abriu uma vaga no elenco, e o time contratou apenas Travis Snider para seu lugar, um jogador que, hoje, está atrás do brasileiro na hierarquia.

Se Orlando levar a melhor do que Dyson na pró-temporada, as chances são boas do brasileiro iniciar a temporada com a vaga de titular no campo externo.

Yan Gomes (Cleveland Indians)

Yan vem de uma temporada conturbada por lesões, atuando em apenas 95 jogos na última campanha. Isso atrapalhou muito suas atuações, mesmo quando esteve liberado para jogar. É muito importante para o catcher voltar a achar o seu melhor ritmo na pré-temporada, ainda mais numa posição que exige muito entrosamento com os arremessadores. Tanto que os Indians vetaram uma viagem do jogador ao Brasil em dezembro. Tudo para ter dedicação total à recuperação física.

Ele é, sem dúvida, titular do time, então vai jogar sem pressão nos jogos preparatórios. O ponto aqui é pegar forma física e entrar voando para a campanha regular.

Leonardo Reginatto (Minnesota Twins)

Jogador versátil no campo interno, Reginatto é capaz de jogar em três posições diferentes (shortstop, segunda base e terceira base). Atua mais como shortstop, e depois de seis anos nas ligas menores do Tampa Bay Rays, foi trocado com o Minnesota Twins. Lá, o brasileiro deverá brigar por uma vaga na triple-A durante a pré-temporada, mas é provável que faça algumas apresentações com a equipe principal. Aos 25 anos, teve um ano produtivo em 2015 e mostra ser um defensor de qualidade.

Para Reginatto, trocar de cenário foi uma boa. Minnesota não tem um campo interno decidido no time principal, setor que atualmente é composto por jogadores duvidosos como Eduardo Núñez, Danny Santana, Jorge Polanco e Eduardo Escobar. Boas atuações do brasileiro podem, talvez, render uma vaga no elenco dos 25 jogadores em algum momento deste ano. Para melhorar seu status, teve ótima passagem pelo Panamá nesta intertemporada, com 34,2% de aproveitamento no bastão (o segundo melhor da liga).