Como tradição, a MLB não esperou a temporada regular acabar para anunciar todo calendário de jogos do ano seguinte. Ainda não é hora de focar na próxima campanha, mas é sempre bom dar uma olhada no que de mais interessante há para 2016. Com isso, separamos as datas e curiosidades que chamam atenção.

VEJA TAMBÉM: Inside-the-park home run quando acontece com catcher é bem mais legal (e raro)

Jogo de abertura será nos Estados Unidos

No passado recente da liga, a temporada teve alguns inícios peculiares. Em 2012, a campanha começou com uma série entre Seattle Mariners e Oakland Athletics, no Japão. Dois anos depois, o primeiro arremesso aconteceu na Austrália em um par de jogos entre Los Angeles Dodgers e Arizona Diamondbacks.

Tradição mantida, e Reds estreiam em casa

Como ocorre todo ano (salvo 1966 e 1990), o Cincinnati Reds estreia em casa. É uma tradição tão longa que o dia de abertura da MLB é feriado na cidade. Em 2016, a abertura será contra o Philadelphia Phillies.

Rodada dupla logo de cara

Para 2016, a liga mostrou que a partida inicial, que acontecerá na noite de 3 de abril (domingo), não será em território estrangeiro. No entanto, ainda não está definido quais times jogarão. A ESPN, dona dos direitos de transmissão do Opening Day, é a responsável por decidir isso e também é algo que deverá ser anunciado apenas em janeiro.

A lista de partidas interessantes marcadas na segunda (4 de abril) não é tão grande: New York Yankees x Houston Astros, San Diego Padres x Los Angeles Dodgers, Kansas City Royals x New York Mets e Pittsburgh Pirates x St. Louis Cardinals. Mas o cenário pode ficar mais complexo pela possibilidade de rodada dupla na TV. Rumores apontam que há a possibilidade de a emissora quebrar a tradição e colocar mais de uma partida na noite inicial.

Aniversário de 20 anos dos jogos interligas

Muitos conservadores não gostam, mas as partidas entre as ligas rivais mudaram o beisebol para melhor com audiência maior e mais gente nos estádios. Completando duas décadas, esse formato continua bem forte e, logo no segundo dia da temporada (4 de abril), Kansas City Royals e New York Mets fazem o primeiro jogo entre Liga Americana contra Liga Nacional.

Padres vão a Toronto

Os jogos interligas foram criados em 1995 e praticamente todos os emparceiramentos possíveis já ocorreram. Falta apenas um: Toronto Blue Jays x San Diego Padres em Toronto. Por uma grande coincidência, sempre que a Liga Americana Leste cruzou com a Liga Nacional Oeste, Padres e Jays acabaram se encontrando na Califórnia. Esse duelo finalmente ocorrerá no Canadá, em 25, 26 e 27 de julho, fazendo que todos os times da MLB já tenham enfrentado todos em casa e fora.

Séries finais bem interessantes

A temporada regular do ano que vem termina no dia 2 de outubro, e nos últimos dias de campanha os jogos prometem ser bem competitivos entre equipes que, teoricamente, estarão brigando entre si por vaga nos playoffs. Em melhor de três partidas, essas séries incluem Yankees x Orioles, Giants x Dodgers, Cardinals x Pirates e Angels x Astros. Pelo que tudo indica, tem tudo para ser jogos emocionantes no esquenta para a pós-temporada.

Último ano do Turner Field

O estádio do Atlanta Braves nunca foi muita unanimidade. É longe do centro e não cria a melhor das atmosferas, tanto é que o Turner Field ainda nem completou 20 anos e já está com os dias contados. A última partida da equipe lá acontecerá no dia 2 de outubro, contra o Detroit Tigers. Pode se prolongar um pouco mais se o time se classificar aos playoffs, um cenário que não soa tão provável neste momento.

A partir de 2017, os Braves se mudarão para o SunTrust Park, que atualmente está em construção. O Turner Field será demolido e não deixará muitas saudades.

Cubs serão o time mais caseiro e Mariners o mais viajado

A geografia é gentil ao Chicago Cubs, que fica na parte central dos Estados Unidos. Além disso, os rivais de divisão ficam perto da capital do Illinois e é algo que facilita bem nas viagens. Sendo assim, o time de Kris Bryant é o que menos precisará se deslocar no ano (38,4 mil quilômetros). O Seattle Mariners, prejudicado por ficar no extremo noroeste extremo dos EUA, é o que mais ficará nos aviões (75,2 mil quilômetros).

LEIA MAIS: A carreira de um ícone do Moneyball provavelmente acabou, e de forma melancólica