Jogo de despedida foi um belo resumo do que representou Kobe Bryant

Kobe Bryant fez sua primeira partida na NBA em 3 de novembro de 1996, uma vitória do Los Angeles Lakers por 91 a 85 sobre o Minnesota Timberwolves. Faz quase 20 anos, e muita gente já crescida que ama basquete e admira o jogador não viu seus melhores momentos. Alguns só sabem de ter lido sobre ele e visto no YouTube, até porque as últimas três temporadas foram decepcionantes devido a lesões e à fragilidade da equipe californiana. Para essa parte do público, a partida de despedida, nesta quarta contra o Utah Jazz, foi quase perfeita.

VEJA MAIS: Como uma notícia plantada permitiu o casamento entre Kobe e Lakers

Durante os 48 minutos de jogo, tivemos uma versão condensada do que foi Kobe Bryant. Claro, não havia a potência e vigor físico de seus primeiros anos ou a importância dos tantos encontros de playoffs de que participou, mas sua essência estava lá. O astro dos Lakers esteve em quadra por 42 minutos, e foi o dono do jogo. Mesmo sem tanto fôlego e com uma temporada apenas regular, tudo girava em torno dele, só importava o que ele ia fazer. Como nos áureos tempos.

Não foi apenas isso, porém. O duelo se encaminhou para uma dinâmica perfeita para Kobe. Com os Lakers atrás no marcador, o jogador fez seu show. Arremessou tudo o que pôde, fez 60 pontos e ainda premiou o público com uma de suas marcas, a cesta da vitória no finalzinho da partida. Não chegou a ser no estouro do cronômetro, mas foi perto disso.

Foi uma bela festa, que permitiu ao público mais jovem ver – e ao público menos jovem a relembrar – como era Kobe no auge: o jogador dominante, que assume o protagonismo e é capaz de carregar seu time nas costas. Até os críticos foram contemplados, pois um torcedor mais cri-cri terá alguma razão se acusar o craque pelo excesso de arremessos (50, 28 deles errados), ainda que ver por esse lado seja levar a sério demais um jogo de celebração.

Essa oportunidade de rever o grande Kobe Bryant ajudou a tornar a noite tão empolgante. Mais que uma grande atuação, memorável, com Kobe sendo Kobe. E isso é o que todos queriam ver uma última vez.


  • William Aparecido Brandino

    Poderá Kobe Bryant ser, no esporte mundial, o único a aposentar DUAS camisas no mesmo time??

    • Frank Rock

      eh q o 10 eh praticamente impossivel de pendurarem no futiba, mas tem alguns jogadores que usaram o mitico numero e outro no começo da carreira que sao du caribe