Lawrence Taylor em 1987 e Tom Brady em 2004

SUPER BOWL XXI | 25 de janeiro de 1987
NEW YORK GIANTS 39 x 20 DENVER BRONCOS

Ficha técnica

Estádio: Rose Bowl, Pasadena, Califórnia
Público: 101.063 pessoas
Show do intervalo: “Salute to Hollywood’s 100th Anniversary”
MVP: Phil Simms, quarterback dos Giants

Após vitórias nos playoffs sobre San Francisco 49ers (49 a 3) e o rival de divisão Washington Redskins (17 a 0), o New York Giants chegou ao Super Bowl XXI como amplo favorito. Liderados pelo linebacker Lawrence Taylor e a defesa, apelidada de “Big Blue Wrecking Crew”, o time comandado por Bill Parcells enfrentaria o Denver Broncos de John Elway, embalados por duas vitórias apertadas contra o New England Patriots (22 a 17) e contra o Cleveland Browns (23 a 20).

Após um primeiro tempo bastante disputado, onde os Broncos saíram com a liderança de 10 a 9, a defesa dos Giants tomou conta da segunda etapa, forçando dois punts e uma interceptação da equipe de Denver nos três primeiros drives. Enquanto isso, o ataque comandado por Phil Simms seguia anotando pontos, totalizando 24 pontos consecutivos nos quatro primeiros drives do segundo tempo.

A arrancada dos Giants se mostrou grande demais para os Broncos e definiu a partida. Ao final, vitória do New York Giants por 39 a 20, a primeira do time na era do Super Bowl. Além de Phil Simms, MVP da partida, os destaques dos Giants foram o tight end Mark Bavaro, recebedor de um touchdown, e o running back Joe Morris, líder da partida em jardas corridas.

LEIA TAMBÉM:
– Patriots querem consolidar dinastia com 4° título
 Veja a cobertura completa do ExtraTime para o Super Bowl

SUPER BOWL XXV | 27 de janeiro de 1991
NEW YORK GIANTS 20 x 19 BUFFALO BILLS

Ficha técnica

Estádio: Tampa Stadium, Tampa, Florida
Público: 73.813 pessoas
Show do intervalo: New Kids on the Block
MVP: Ottis Anderson, running back dos Giants

O Super Bowl XXV teve o confronto entre duas equipes que já haviam se enfrentado na temporada regular. O primeiro embate entre os times havia ocorrido no Giants Stadium, no dia 15 de dezembro de 1990, e foi vencido pelo Buffalo Bills por 17 a 13. Entretanto, os Giants perderam mais do que apenas a partida. O quarterback titular Phil Simms sofreu uma fratura na clavícula e ficaria de fora pelo restante da temporada – o reserva Jeff Hostetler assumiu a posição.

Comandados por Hostetler, New York bateu facilmente o Chigado Bears por 31 a 3 e, fora de casa, conquistou uma surpreendente vitória sobre o San Francisco 49ers de Joe Montana por 15 a 13 na final da NFC. Por sua vez, o Buffalo Bills chegou ao Super Bowl credenciado por uma eletrizante vitória por 44 a 34 sobre o Miami Dolphins de Dan Marino e um verdadeiro massacre de 51 a 3 sobre o Los Angeles Raiders no jogo que decidiu a AFC.

Decididos a conter o potente ataque do Buffalo, o plano de jogo dos Giants consistia em permanecer o máximo de tempo com a bola, mantendo assim o ataque dos Bills fora de jogo. Após um primeiro quarto em que prevaleceram as defesas e apenas um field goal para cada time foram anotados, Jim Kelly liderou um excelente drive de 80 jardas que culminou com o touchdown. Duas posses depois, Jeff Hostetler foi sacado na endzone para um safety e o jogo parecia começar a escapar das mãos do Giants. No último drive do segundo quarto, Hostetler lançou para Stephen Baker em um touchdown de 14 jardas e colocou os Giants de volta no jogo.

Na abertura do terceiro quarto, os Giants conseguiram uma campanha de mais de nove minutos, terminada em um touchdown de uma jarda na corrida de Ottis Anderson, devolvendo a liderança ao time de Parcells. Os Bills só voltariam à ponta na primeira jogada do último quarto, após corrida de 31 jardas de Thurman Thomas. Por conta dos longos drives dos Giants, a defesa do Buffalo se encontrava cansada e não foi capaz de impedir que Hostetler marchasse 74 jardas em mais de sete minutos. A equipe de Nova York marcou o field goal e retomou a liderança no placar.

O jogo só foi decidido na última jogada, quando a tentativa de field goal do Buffalo Bills fracassou e deu ao Giants seu segundo título do Super Bowl. Ottis Anderson foi eleito o MVP da partida com 102 jardas corridas e um touchdown. Do lado dos Bills, merece destaque o esforço de Thurman Thomas, que conquistou 190 jardas entre o jogo corrido e aéreo, além de anotar um touchdown.

SUPER BOWL XXXV | 28 de janeiro de 2001
NEW YORK GIANTS 7 x 34 BALTIMORE RAVENS

Ficha técnica

Estádio: Raymond James Stadium, Tampa, Florida
Público: 71.921 pessoas
Show do intervalo: Aerosmith, Britney Spears, Nelly, Mary J. Blige e N’SYNC
MVP: Ray Lewis, linebacker do Baltimore Ravens

Após conseguir um recorde de 12 vitórias e quatro derrotas na temporada regular, movidos principalmente pela dupla de running backs Tiki Barber e Ron Dayne, os Giants chegaram embalados para a decisão. Do outro lado, o Baltimore Ravens apresentava uma das maiores defesas da história da NFL, liderados pelo linebacker Ray Lewis, que dias antes, afirmou que não via como os Giants iriam marcar pontos na defesa do Ravens.

E infelizmente para os Giants, a previsão de Lewis se concretizou. A poderosa defesa dos Ravens infernizou a vida de Kerry Collins o jogo inteiro, conseguindo quatro interceptações, quatro sacks e um fumble, fundamentais na construção do placar de 34 a 7 –  um dos Super Bowls menos disputados da história. Os únicos pontos marcados pelos novaiorquinos vieram do retorno de kickoff de Ron Dixon para 97 jardas. Como era de se esperar, Ray Lewis foi eleito o MVP da partida. A escolha, entretanto, tinha também por intuito homenagear toda a defesa do Ravens, que dominou a partida do início ao fim.

SUPER BOWL XLII | 3 de fevereiro de 2008
NEW YORK GIANTS 17 x 14 NEW ENGLAND PATRIOTS

Ficha técnica

Estádio: University of Phoenix Stadium, Glendale, Arizona
Público: 71.101 pessoas
Show do intervalo: Tom Petty & the Heartbreakers
MVP: Eli Manning, quarterback dos Giants

Leia o relato completo do jogo aqui.