Toronto é a quarta maior cidade da América do Norte, a terceira se considerarmos apenas as que têm franquias em NFL, MLB, NBA e NHL. Seria de se esperar que a maior metrópole do Canadá tivesse equipes competitivas, mas uma nuvem de azar parecia pairar sobre a região por décadas. Até que, de repente, as coisas começam a virar. Até os Maple Leafs, símbolo de incompetência administrativa do hóquei no gelo, já tem motivos para se alegrar. E tudo devido a um jogo de Auston Matthews.

O central foi a primeira escolha do draft da NHL. Logo na abertura da temporada, em um duelo contra o Ottawa Senators, o garoto fez uma das melhores melhores – talvez a melhor – estreia de um jogador na história da liga. Foram quatro gols, o primeiro após somente nove minutos. Só não foi perfeita porque os Maple Leafs não abandonam certos vícios (como o de frustrar sua torcida) e acabaram perdendo por 5 a 4.

Se os próximos jogos também forem positivos a Matthews (basta atuar bem, não precisa sair fazendo gol toda hora), não se surpreendam se ele se transformar rapidamente em atração. Não apenas porque será o Messias que tirará a segunda franquia mais vitoriosa da NHL da série de 49 anos sem título, mas porque ele foi criado no Arizona e tem uma mãe mexicana, sendo um símbolo de como o hóquei no gelo pode ter sucesso na comunidade latina e nas regiões quentes dos Estados Unidos.


  • Fabio Lira

    Toronto sendo Toronto, mas ainda acredito nesse rebuild.Matthews destruiu ontem.
    Go leafs.