Arena Pernambuco recebeu cinco jogos da Copa do Mundo (Tiago Falqueiro/Blog do Planalto)

Arena Pernambuco recebeu cinco jogos da Copa do Mundo (Tiago Falqueiro/Blog do Planalto)

Neste final de semana, a Itaipava Arena Pernambuco terá um desafio não costumeiro para a maioria dos estádios brasileiros, mas que até já virou costume nos Estados Unidos, o de trabalhar com mais de um esporte em dois dias. E com título em jogo em ambos.

LEIA MAIS: Final do Brasileiro de Futebol Americano será realizada no Couto Pereira, estádio do Coritiba

No sábado (29), a arena construída para a Copa do Mundo receberá a última partida do Náutico na Série B do Brasileirão, contra a Ponte Preta, que ainda pode ser campeã. No dia seguinte, o estádio será a sede da final da Superliga Nordeste de Futebol Americano, que será disputada por Recife Mariners e João Pessoa Espectros.

Como acontece em outros estádios multiuso ao redor do mundo, o tempo para transformação será pequeno. A equipe da arena terá menos de 24 horas para fazer as modificações necessárias, como as marcações do campo de futebol americano – menos em largura, mas maior em comprimento – e a instalação das traves para chutes.

Mas segundo o agrônomo responsável pelo gramado da arena, Ricardo Novelino, a grande diferença nas exigências é o fato de que o futebol americano exige um corte diferente de grama para a sua prática.

“Estamos trabalhando há duas semanas neste projeto”, disse Novelino. “E para o jogo de futebol americano usaremos um corte de grama maior que o visto na Copa do Mundo, já que é um esporte que exige um contato maior entre os atletas e acaba tendo um impacto maior no gramado”.

A partida entre Mariners e Espectros terá início às 16h. O vencedor enfrentará o Coritiba Crocodiles no Brasil Bowl, o campeonato organizado pela Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA).

Para saber onde adquirir ingressos para a partida, clique aqui.